24.9.07

A inevitável lágrima...

Pois é... além de quase um dia inteiro de "comes e bebes" e "ramboia", os casórios têem destas coisas: emocionam-nos!
E quando se trata de um casamento de um amigo com quem se partilhou tantas lutas estudantis e tanta borga, é inevitável... as memórias, os risos, as histórias intensificam aquele sentimento de saudade com que aprendemos a viver!
E é exactamente porque sentimos que é genuíno o prazer e a alegria que a nossa presença deu ao anfitreão, que lhe perdoamos o nome que atribuiu à nossa mesa - o tema era O Minho e o Alentejo, e os nomes das mesas giravam em torno de nomes de pratos tradicionais! Ao grupo dos "anti-corpos" (nome que utilizamos para designar este grupo de ex-dirigentes estudantis cujas lutas académicas fomentaram uma amizade para a vida, mas cuja história é muito longa para ser aqui contada) coube a mesa dos "Túbaros (testículos de porco) de fricassé".
Reencontrá-los fez-me mais uma vez ir remexer no baú das recordações. Aqui deixo algumas relíquias.













Um comentário:

Pedro Silva disse...

Sim senhor... Fizeste-me chorar... chorar de tanto rir... Estas fotos...
Bjinhos