8.10.07

E encontramo-nos na semana...


... dos prémios Nobel!


Após o anúncio do prémio Nobel da Medicina, aguarda-se até ao final da semana, pelos vencedores nas restantes categorias!


"Abre hoje oficialmente a temporada Nobel (...). Num ano em que os organizadores estão apostados em recuperar para os prémios o prestígio de outros tempos, as atenções centram-se em duas categorias: Literatura e Paz, distinções a anunciar, respectivamente, a 11 e 12 deste mês, quinta e sexta-feira.


É sobre elas que recaem quase todas as apostas e são elas o alvo de todas as especulações. Em jogo, para cada categoria, estão, além de medalha de ouro, 10 milhões de coroas suecas (cerca de 1,1 milhões de euros) a repartir, no máximo, por três pessoas ou instituições.


(...) o calendário dos premiados segue amanhã, dia 9, com a divulgação do premiado em Física; dia 10 com o da Química; dia 11 anuncia-se o da Literatura; dia 12, sairá de Oslo o nome do vencedor do prémio da Paz e, finalmente a 15, novamente de Estocolmo, saber-se-á quem leva a medalha para a Economia.


São seis categorias que Alfred Nobel, o fundador do prémio e inventor da dinamite, quis recompensar pela sua acção em "benefício da humanidade". E é assim que desde 1901, todos os anos, no início de Outubro, as atenções se viram para a Academia Nobel Sueca, à qual compete eleger os vencedores num esquema sempre envolto em forte sigilo e cada vez mais rodeado de especulação.


Este ano, por exemplo, apresentaram-se 181 candidaturas ao prémio da Paz, entre nomes individuais e instituições. Há quem aposte (caso da revista Science) em que a distinção irá para activistas ou para trabalhos com acção directa no combate às alterações climáticas, ou seja, na luta contra o aquecimento global. Recorde-se que em 2006, o vencedor foi o inventor do microcrédito, o bengalês Muhammad Yunnus. Foi uma surpresa, num ano em que os americanos arrecadaram os prémios científicos.


Só a Paz e a Literatura romperam a regra, com a Academia a não surpreender quando anunciou o turco Orham Pamuk vencedor na categoria de letras. E é justamente nesta área que há mais trabalho a fazer pelo prestígio Nobel. É que o mérito de alguns vencedores tem vindo a ser questionado por quem considera que questões como a política e a geografia têm maior peso do que propriamente as qualidades literárias dos escritores."




(Desafio-vos a ler um livro do Pamuk, o nobel da literatura do ano passado... e a partilharem a vossa opinião!
Quem sou eu para contestar as qualidades literárias de um Nóbel da literatura mas, "Os Jardins da Memória" foi daqueles livros em que eu ansiava por chegar ao fim... e não necessariamente porque estivesse a gostar! )

3 comentários:

Gonçalo Avelar disse...

Como em qualquer concurso de mister e miss qualquer coisa, os prémios são atribuídos a pessoas que não o merecem. Isto acontece, porque há sempre um grupo de júris que decidem. E os gostos mudam. Além disso também existem muitas pressões para x ou y ganhar.

Valter Ferreira disse...

muito interessante!

Mr. MyShadow disse...

Acho que, muito sincera e modestamente, deveria receber o Nobel da Paz...
A razão? Porque nas outras categorias não me enquadro lá muito bem