8.10.07

Quando as notícias nos tocam de perto!!

Seria só mais uma para mim, se um dos jovens fuzileiros não fosse o namorado de uma amiga minha de longa data, que está em coma no hospital! É difícil dar palavras de conforto e esperança perante uma revolta tão justificada!

Só há um pedido a fazer: Justiça!!

2007-10-0
"Dois jovens que seguiam num automóvel furtado entraram na madrugada de ontem em contramão numa recta do IC1, junto a Alcácer do Sal, provocando uma aparatosa colisão frontal com um veículo Unimog de uma coluna militar que transportava 13 fuzileiros. Um dos marinheiros, Márcio Filipe Costa Araújo, na casa dos 20 anos e residente na Baixa da Banheira, Moita, teve morte imediata. Uma segunda viatura militar conseguiu, no último momento, evitar o acidente.

Outros sete fuzileiros ficaram gravemente feridos, três dos quais com múltiplos traumatismos, e quatro sofreram ferimentos ligeiros. Apenas o condutor e outro tripulante da cabina saíram ilesos do acidente.

O condutor do veículo civil, um jovem de 20 anos e sem carta de condução, ficou encarcerado e sofreu também ferimentos graves. A BT fez testes de despistagem de drogas e álcool mas desconhece-se o resultado. O outro passageiro do automóvel, um Ford Focus furtado no Norte do País no dia 1 de Outubro, sofreu escoriações.

O acidente deu-se às 00h40, ao quilómetro 58,4, perto do bairro de São João. A coluna militar era composta por duas viaturas pesadas Unimog que, segundo um comunicado da Marinha, transportavam um pelotão de fuzileiros de regresso à Base do Alfeite depois de terem concluído um exercício de tiro em Pinheiro da Cruz, Grândola. Ao ver o automóvel – que seguia em contramão no sentido Setúbal- -Alcácer numa recta com duas faixas de rodagem – o condutor do primeiro Unimog conseguiu evitar a colisão.

O marinheiro que conduzia o outro veículo já não evitou o choque, tendo o pesado sido projectado para a berma e capotado várias vezes, partindo dois pinheiros. Os 11 fuzileiros que seguiam sentados nos bancos na traseira do Unimog foram cuspidos.“Parecia um cenário de guerra. Estavam todos camuflados, alguns com a lona do veículo em cima e espalhados pelo mato bastante feridos”, referiu ao CM Valdemar Gonçalves, comandante dos bombeiros de Alcácer, corporação que encerrou os trabalhos de limpeza da via por volta das 07h00. A GNR e a Marinha abriram um inquérito para apurar as causas do acidente. "



Fonte: Correio da Manhã